Obesidade Infantil.

A Obesidade Infantil já é considerada uma epidemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). É um grande problema que, apenas no Brasil, cresceu 1000% nos últimos 40 anos.

obesidade-infantil

O quadro da Obesidade Infantil é constatado quando bebês e crianças, de até 12 anos, possuem o peso corporal superior a 15% ao valor médio para sua idade.

Os principais fatores que ocasionam essa situação estão no sedentarismo, nos hábitos comportamentais, no descuido com a alimentação e, em raros casos, em distúrbios hormonais e doenças genéticas.

O mais preocupante nesse quadro clínico não é a consequência estética e, sim, as doenças que podem ocorrer como a Diabetes, a má formação do esqueleto, as doenças cardíacas e outras com a mesma gravidade.

Quando não se tratam de casos especiais, o tratamento mais indicado é a mudança dos hábitos, optando por uma alimentação regrada e a realização de atividades físicas regulares, e nessa transformação, o apoio dos adultos, servindo até mesmo de exemplo, é o ideal.

A Anemia e seus cuidados.

A Anemia é uma Síndrome causada pela diminuição da hemoglobina, que transporta o oxigênio do pulmão para o organismo, ou a redução dos glóbulos vermelhos no sangue.

anemia

A Anemia pode ser aguda ou crônica, adquirida ou hereditária. Entre os sintomas podemos encontrar a queda da pressão arterial, palidez cutânea, cansaço, falta de memória, tonturas, fraquezas e, entre outros, a taquicardia.

O diagnóstico é feito com um exame de sangue, e o tratamento é diretamente relacionado com a causa da doença.

Se você já sentiu alguns desses sintomas procure seu médico, o diagnóstico é simples e pode melhorar muito sua qualidade de vida.,

Conheça melhor o perigo do vírus Ebola.

O Ebola é uma febre hemorrágica viral, transmitida entre os mamíferos através do contato com os fluídos biológicos do infectado.

ebola2

O período de incubação do vírus é de 2 a 21 dias e os primeiros sintomas são: febre, forte dor de cabeça, fraqueza muscular, inflamação na garganta e calafrios. O quadro mais avançado da doença apresenta: vômitos, diarreia, dor no peito, no estômago, entre outros sintomas.

A doença leva a óbito em média 50% dos infectados e ainda não possui tratamento específico, apenas sendo ministrado o cuidado com os sintomas e, principalmente, com a manutenção da pressão arterial, causa da maioria das mortes provocadas pelo vírus. A exposição ao vírus, no caso de médicos e laboratórios de análise, exige altos cuidados, como as vestimentas, que isolam o corpo inteiro e evitam qualquer tipo de contato.

A maior epidemia do vírus Ebola é a atual, que está presente na África Ocidental, onde o foco é Serra Leoa, Guiné e Libéria. O Brasil não apresentou nenhum caso até o momento, apenas no mês de outubro teve uma suspeita, que acabou sendo descartada.

O maior órgão do corpo humano merece cuidados.

A pele e o sol. Uma relação muito próxima e que exige certos cuidados. Confira algumas dicas.

cuidados-pele

A pele é composta por duas camadas, a derme e a epiderme, e está sempre protegendo nosso corpo de agentes externos.

Por ser um órgão que está exposto todo o tempo, acaba exigindo uma atenção maior para prevenir alguns problemas, como o envelhecimento precoce, ou até mesmo, doenças mais graves, como o câncer de pele.

Entre as principais consequências que surgem da falta de cuidados, estão o ressecamento, as queimaduras e as alterações na coloração.

Um dos grandes responsáveis por esses problemas é o sol, mesmo que ele traga o benefício da Vitamina D, tão necessária ao organismo, oferece constantemente o perigo do excesso de exposição e os raios nocivos à saúde, o UVB e o UVA.

Por isso é tão importante o uso diário do protetor solar, além de praticar uma correta alimentação, e o uso constante de produtos cosméticos: hidratantes e óleos, que trabalham na manutenção da pele, na sua maciez e elasticidade.

Todo cuidado nunca é demais quando se trata da saúde da sua pele.

Outubro Rosa: Um cuidado que deve durar o ano todo.

O câncer de mama é o tipo que mais acomete as mulheres em todo o mundo. Uma doença perigosa e que exige atitudes como o movimento Outubro Rosa, que relembra a importância de se cuidar durante todo o ano.

outubro-rosa2

Esse tipo de câncer pode atingir homens e mulheres, sendo que a proporção é de 1 caso masculino, a cada 100 femininos. Outra informação importante é o fator de risco, que pode aumentar as chancede contrair a doença, entre eles estão: histórico familiar, obesidade, colesterol elevado e idade acima dos 40 anos.

O câncer de mama é causado por uma alteração no genes das células da mama, que acabam crescendo desorganizadamente e formando o tumor. No estágio inicial do câncer não é possível observar sintomas, só após um período é que são detectados os carocinhos nas mamas, o abaulamento, retração e as manchas na pele.

A prevenção para este mal ainda não é possível, mas o que pode ser feito é o diagnóstico mais precoce possível, que aumenta em até 95% as chances de cura. Por isso, o ideal é a mulher conhecer intimamente o seu corpo, para perceber qualquer alteração, e ter o acompanhamento de um Mastologista durante toda a sua vida, ou pelo menos, a partir dos 40 anos de idade, sem se esquecer de realizar a mamografia, no mínimo, 1 vez por ano.

Cistite e infecção urinária: conheça os sintomas e tratamentos

Beber líquidos e urinar constantemente é tratamento e prevenção

Corte09

Cistite e infecção urinária têm sintomas muito parecidos, mas não são a mesma doença. Enquanto a cistite é uma inflamação da bexiga que pode se tornar uma infecção, a infecção urinária abrange todo o trato urinário, dos rins à uretra. Em ambos os casos, porém, dor ao urinar e uma constante vontade de ir ao banheiro são os sinais mais comuns, podendo existir também presença de sangue na urina.

Tanto a cistite e a infecção urinária são mais comuns em mulheres, principalmente naquelas que são ativas sexualmente. As mulheres são as mais afetadas porque sua uretra é menor que a dos homens e em local de fácil acesso a bactérias. Mas não se engane: os homens também sofrem com o problema.

Para o diagnóstico, o especialista costuma pedir exames de urina. No caso de uma infecção, o exame apontará a presença de bactérias e deverá ser tratada com antibióticos e muito líquido. No caso de uma inflamação, beber líquidos também é aconselhado e o uso de anti-inflamatórios, para diminuir o incômodo, pode ser uma opção.

É importante ressaltar que não se deve segurar a urina, o que ajuda no surgimento de cistite ou infecção urinária, pois a uretra não será limpa durante um longo período, ficando mais suscetível às bactérias. Também é aconselhável urinar após a relação sexual, mesmo que seja pouco para limpar a uretra. Usar camisinha é fundamental para diminuir o risco de infecção. E no caso de já estar infectado, não deixe de ir ao banheiro ao menor sinal: limpar o canal urinário faz parte do tratamento.

Você sabe o que é a doença de Crohn?

Quando em remissão, paciente deve ter cuidado com a dieta

Você sabe o que é a doença de Crohn?

A doença de Crohn é uma inflamação crônica no intestino, afetando principalmente a parte inferior do intestino delgado e o cólon. Apesar de não ter causa definida, acredita-se que uma desregulação do sistema imunológico seja o principal fator. Genética, infecções e até dietas também podem colaborar para que a doença apareça, principalmente em pessoas entre 20 e 40 anos e especialmente em fumantes.

Dor abdominal, diarreia e febre são os sintomas mais comuns da doença, mas também podem ocorrer o aparecimento de aftas, dores articulares e hemorroidas. Em 30% dos casos, ocorrem complicações graves, como fissuras e fístulas, ou seja, o intestino é perfurado, havendo uma vazamento de fezes para a região perineal e abdominal. Vale ressaltar que ter a doença de Crohn pode ser um fator de risco para desenvolver câncer de intestino.

A doença não tem cura, embora existam tratamentos eficientes que buscam aliviar os sintomas, corrigir as deficiências de nutrientes causadas pelas constantes diarreias e tratar o quadro inflamatório, ajudando na remissão da doença. Quando remissivo, o paciente deve ter cuidado com o que come, estando atento ao que não lhe faz bem, e priorizando o consumo de fibras.

Por ser muito parecida com outras doenças, como colite ou ileíte.
os exames para diagnosticar a doença de Crohn são vários, como endoscopias, raio-x e alguns exames de sangue.

Como lidar com a psoríase

Com crises cíclicas, doença precisa de cuidados especiais

Corte07

A psoríase é uma doença genética que afeta a pele, causando irritação e vermelhidão. É comum aparecer em joelhos, cotovelos, couro cabeludo e tronco, principalmente antes dos 30 anos e depois dos 50. Sem cura, a psoríase é uma doença cíclica e seus sintomas podem aparecer de repente, principalmente durante crises de estresse e quando a pele estiver seca ou apresentar lesões, como cortes e picadas de insetos, ou queimaduras do sol.

Quando um paciente tem psoríase, as células responsáveis pela defesa do organismo consideram as células da pele como um objeto estranho e as atacam. Deste modo, a produção de tecido epitelial aumenta. Esse processo faz com que as células mortas que ficam na nossa pele não sejam eliminadas, gerando os sintomas da psoríase: escamação e ressecamento da pele e surgimento de manchas vermelhas. Unhas também podem ser afetados pela doença, ficando amareladas, descamadas e podendo se desgrudar de sua base.

Apesar de não ter cura, a psoríase não é contagiosa e seu tratamento é bastante satisfatório na maioria dos casos. Em pacientes com uma forma mais branda da doença, o uso de medicação local, como cremes e loções, já ajuda a conter os sintomas. Exposições diárias ao sol também ajudam a melhorar os sintomas. Em casos mais graves, porém, é necessária a administração de medicamentos por via oral ou até mesmo injeções.

É possível conviver com a doença normalmente, mesmo durante as crises. É aconselhável ao paciente evitar o consumo de bebidas alcoólicas e exposição ao sol além do recomendado pelo médico. Visitar sempre o dermatologista e seguir suas orientações é fundamental para controlar e diminuir as crises.

Estudo: alimentação ajuda no relógio biológico

Alimentar-se corretamente pode ajudar pessoas com distúrbio do sono

Corte06

Um estudo japonês descobriu que o horário e a quantidade de nutrientes que ingerimos ao longo do dia influenciam nosso ciclo circadiano, ou seja, as 24 horas que temos em um dia. Feita na Universidade de Yamaguchi, a pesquisa apontou que quando comemos, nosso pâncreas secreta a insulina para controlar não só o nível de glicose no sangue, mas também o nosso relógio biológico. Isso acontece porque o corpo interpreta a insulina lançada no sangue como um alerta para manter-se acordado.

A descoberta é importante para pessoas que sofrem de distúrbios do sono. Com uma alimentação rica em nutrientes ao longo do dia, o organismo entende que quando não houver mais a ingestão de tantos nutrientes, é hora de dormir! Ou seja, se você come pouco durante o dia e, à noite come muito, seu organismo ficará confuso sobre qual é o horário certo para comer e dormir.

No caso de viagens com fusos horários muito diferentes, o estudo também pode ser aplicado. Deste modo, a pessoa deve mudar seus horários de sono e refeições dias antes da viagem, além de evitar carboidratos pela noite, optando por concentrá-los nas primeiras refeições do dia. Assim, o organismo se adapta com o novo horário e com as novas doses de insulina liberadas no sangue.

Esteja atento ao seu relógio interno!

Como melhorar a sua imunidade

Estar atento aos nutrientes, praticar exercícios e mudar alguns hábitos podem ajudar

Corte05

Existem épocas da vida que não importa o que a gente faça, sempre ficamos doentes. Isso ocorre porque o nosso sistema imunológico está fraco e qualquer vírus ou bactéria é capaz de afetar o nosso organismo. Além de tentar se recuperar, é importante que você também se esforce para que a sua imunidade não fique fraca novamente.

Alimentar-se bem é uma das grandes chaves para ter um sistema imunológico forte. Invista em frutas cítricas, como laranja, kiwi e acerola. Elas são ricas em vitamina C, responsável por aumentar a resistência do organismo. Vegetais com a coloração escura, como couve e espinafre, também podem ajudar. O consumo de feijão e cogumelos, que têm ácido fólico em abundância, também é recomendado.

Exercícios físicos não podem ficar de fora de uma vida saudável, mas devem ser feitos com moderação e cautela, principalmente se você não está acostumado com eles. Alimentar-se antes e depois dos exercícios também é importante, afinal, de nada adianta fazer exercícios se o seu corpo não estiver preparado para isso. Por outro lado, também é importante descansar, principalmente durante a noite. Poucas horas de sono aumentam nosso nível de estresse e reduzem a imunidade.

E, sempre que ficar doente, busque ajuda médica, dessa maneira você não irá se automedicar e não correrá o risco de tomar remédios desnecessários. Usar antibióticos sem orientação médica, por exemplo, pode aumentar a resistência das bactérias, fazendo com que elas ataquem cada vez mais seu organismo.