Sete frutas típicas da estação para aproveitar o melhor do outono

Engana-se quem pensa que as frutas são a cara do verão: veja como manter a saúde em dia nos meses mais frios do ano

Frischmann_blog_700x240

O consumo de frutas frescas como hábito saudável é geralmente associado à primavera e ao verão. Por isso, a qualidade da alimentação de algumas pessoas costuma diminuir bastante nos meses mais frios. Somada a isso, está a velha desculpa de que no outono e no inverno a fome, especialmente por doces e alimentos calóricos, aumenta.

Como resultado, meses de alimentação balanceada e saudável são deixados de lado. Além de uns quilinhos a mais, este hábito pode comprometer a boa saúde conquistada nos meses mais quentes. No entanto, é possível, sim, aproveitar as temperaturas mais amenas para cuidar bem da saúde e se alimentar bem. Engana-se quem pensa que o outono não oferece boas opções para uma alimentação saudável, pois há muitas frutas próprias da época que podem ser consumidas sem medo.

Para comprovar, confira sete opções saborosas e saudáveis das melhores frutas da estação:

Abacate – Se você evitava esta fruta pelo alto teor de gordura, não se preocupe. O abacate é rico em gordura boa que aumenta o colesterol bom e ajuda a combater o ruim. Esta propriedade ainda confere mais viço e elasticidade à pele. Outras vantagens da fruta, que pode ser consumida como sobremesa ou parte da salada, são a alta concentração de ferro e magnésio, além de vitamina C.

Banana – Fruta símbolo do Brasil, a banana é também a mais consumida pelos brasileiros. Fonte de potássio, é excelente para a saúde dos músculos e do coração. Além disso, seu alto valor calórico funciona como uma saudável fonte de energia.

Caqui – Esta é uma das preferidas da estação. Seu sabor doce agrada a diversos paladares e cai muito bem como uma sobremesa bastante saudável. Apesar de doce, é pouco calórico e fonte de ferro, cálcio e vitaminas A, B1, B2 e C. Suas principais vantagens são a saúde da pele e dos olhos.

Carambola – Esta fruta altamente refrescante e hidratante é também bastante diurética e por isso deve ser evitada apenas por pessoas que têm problemas renais. Se este não é seu caso, aproveite o alto teor de vitaminas A, C e do complexo B.

Figo – Fonte de zinco e fibras, o figo contém alto teor de antocianidina, substância de poder antioxidante presente em alimentos de coloração roxa. Porém a fruta deve ser consumida com moderação devido ao alto índice glicêmico. Além disso, prefira a variedade orgânica, já que as produzidas em larga escala têm alta concentração de agrotóxicos em sua casca.

Goiaba – Seja na variedade vermelha ou branca, a goiaba possui alta concentração de cálcio, fósforo e ferro, além de muita fibra. E o melhor: contém pouco açúcar e gordura. A fruta é ideal para cuidar da saúde dos dentes e dos ossos, além de ser benéfica para o coração.

Tangerina – Riquíssimo em vitamina C e vitamina A, o suco de tangerina é um ótimo aliado contra gripes e resfriados e costuma fazer muito sucesso nesta época do ano. Mas, assim como a laranja, é preciso ser consumido com moderação devido ao alto teor de açúcar.

Alfarroba é alternativa light para substituir o chocolate

Rico em vitaminas e minerais, fruto tem sido utilizado em algumas receitas em substituição ao cacau. Saiba quais são as diferenças entre eles

Frischmann_blog_700x240

Dá até para confundir o sabor e a textura da alfarroba com a do chocolate. O fruto, que vem sendo utilizado em receitas para substituir o cacau, é rico em vitaminas A, B2, B3, B6 e D, minerais, possui baixo teor de gordura e é isento de lactose e de glúten. Segundo a especialista em Endocrinologia, que integra o corpo clínico do Laboratório Frischmann Aisengart, Myrna Campagnoli, a alfarroba pode ser uma ótima alternativa para os intolerantes à lactose ou pessoas que estão de dieta para emagrecer.

“A alfarroba tem sido utilizada como substituta do cacau em várias receitas, pois além da consistência, seu sabor e aspectos lembram muito o chocolate. A diferença é que ela possui menor teor de gorduras. Como não possui leite na sua composição, também tem sido procurada por intolerantes à lactose e pessoas que seguem dieta vegana”, salienta a médica.

Nutricionalmente, a alfarroba é tão rica em nutrientes quanto o cacau, que também possui várias vitaminas. Por isso, de acordo com a médica, não há necessidade da substituição integral de um pelo outro. Até porque, embora tenha menos gordura, a alfarroba também é calórica e deve ser consumida com moderação. “Na verdade, ela é mais uma alternativa na rotina alimentar, que possui bom valor nutricional e sabor agradável”, aponta a especialista.

Para quem se interessou e quer arriscar algumas receitas com a alfarroba, basta procurá-la em supermercados e casas de produtos naturais. Ela já pode ser encontrada em várias versões: em pó, barras, gotas, creme, entre outros. “Na hora da compra, a dica é a mesma para a escolha do chocolate. Procure pela versão com menos açúcares e gorduras”, lembra a Dra. Myrna.

Frischmann Aisengart oferece teste NS1, que permite detecção precoce da dengue

O exame detecta a doença de forma mais eficaz que os demais métodos utilizados

Frischmann_blog_700x240

O Laboratório Frischmann Aisengart oferece o teste NS1, procedimento que permite a detecção precoce da dengue e que consiste em um exame de sangue para verificação do antígeno NS1.

O teste tem sido desenvolvido nos últimos anos e é mais rápido e eficaz do que os disponíveis atualmente, apresentando alta sensibilidade e especificidade diagnóstica, o que permite uma confirmação precoce da infecção pelo vírus da dengue logo após o início dos sintomas. Sua finalidade é detectar a infecção pelo vírus da doença antes do aparecimento dos anticorpos da classe  IgM/IgG, que é o princípio diagnóstico da maioria dos testes.

Segundo Jaime Rocha, infectologista do Frischmann Aisengart, o teste auxilia tanto médicos quanto pacientes, além de agregar valor ao tratamento da doença. “Com a detecção precoce é possível realizar um diagnóstico mais preciso e, assim, obter decisões mais acertadas para cada caso. Além disso, ela permite o início mais rápido do tratamento de suporte, a não-recomendação de medicamentos contra-indicados para pacientes infectados pelo vírus, contribuindo, assim, para a diminuição da mortalidade devido às complicações da mesma”, afirma.

O NS1 é detectável até o sétimo dia de dengue com segurança e apresenta vantagem sobre a técnica de detecção de anticorpos da classe IgM (imunoglobulina M) antidengue. Esta não pode ser utilizada para diagnóstico na fase aguda da doença porque a IgM se torna detectável entre cinco e dez dias depois do aparecimento da febre, em casos de infecção primária e, algumas vezes, é de difícil detecção em infecções secundárias. Por isso, costuma ser utilizada somente a partir do sexto dia da doença. “Nesse momento, o paciente pode ter sarado ou evoluído para um quadro mais grave”, conclui Rocha.

O exame ainda não tem cobertura por parte dos planos de saúde e é considerado de custo intermediário, se comparado com os demais procedimentos utilizados atualmente para a detecção da doença.

 

Para agendar o exame, ligue para (41) 4004.0103  ou acesse: http://www.labfa.com.br/