Cantigas na voz da mãe melhoram a recuperação de bebês prematuros

Pesquisa conclui que o som da mãe cantando ajuda a acalmar batimentos cardíacos e respiração do bebê

labfa-cantiga-corte

Desde que o mundo é mundo as mães costumam cantar cantigas de ninar para os seus bebês dormirem bem. Um grupo de pesquisadores do Beth Israel Medical Center de Nova York decidiu analisar o efeito da música cantada pela mãe em bebês que nasceram prematuros. O resultado impressiona.

Quando a mãe cantava ali pertinho da incubadora da UTI neonatal, o bebê mostrava melhoras visíveis na respiração e nos batimentos cardíacos. Consequentemente, a criança comia e dormia melhor. Os médicos e pesquisadores dizem que, ao reduzir o estresse e estabilizar os sinais vitais, a música pode permitir que os bebês concentrem mais energia para o desenvolvimento normal.

O interessante é que não precisam ser os clássicos “boi da cara preta” ou “brilha brilha estrelinha”. Os cientistas perceberam que qualquer música escolhida pelos pais parecia encorajar a recuperação e reforçava os laços entre pai, mãe e filho. Uma das mães cantou Beatles, por exemplo. Contanto que fosse num tom calminho e carinhoso, até letra de punk-rock fazia a diferença.

No teste, 272 bebês prematuros de 11 hospitais passaram por três fases: ausência de som, som do útero feminino e o som da voz da mãe cantando. A ausência de som não fez diferença, o do oceano ajudou um pouco, mas nada se comparou às cantigas.

“Muitas UTIs neonatais são barulhentas ou as pessoas colocam para tocar CDs de cantigas aleatórias”, explicou Joanne Loewy, diretora do Louis Armstrong Center for Music & Medicine do Beth Israel. “O que nós estamos dizendo é que não vale qualquer cantiga de ninar já gravada, é o poder da voz dos pais sincronizado com a terapia”.

Tags:, , , , ,