A primavera chegou: fique atento às alergias

É fácil perceber que quanto menos umidade do ar, mais espirros, tosse e alergias. Afinal, na seca há um aumento de até 40% na incidência de doenças respiratórias, principalmente as alérgicas como asma, rinite, resfriados e gripe. E o problema deve se agravar ainda mais com a chegada da primavera e o aumento de pólen […]

Frischmann_blog_alergias primavera

É fácil perceber que quanto menos umidade do ar, mais espirros, tosse e alergias. Afinal, na seca há um aumento de até 40% na incidência de doenças respiratórias, principalmente as alérgicas como asma, rinite, resfriados e gripe. E o problema deve se agravar ainda mais com a chegada da primavera e o aumento de pólen das flores no ar e a mudança de temperatura.

“Esse crescimento pode ser explicado por diversos fatores: a umidade relativa do ar muito baixa; o próprio frio, que funciona como um irritante para as vias aéreas de algumas pessoas e a inversão térmica, que é responsável pelo acúmulo maior de poluentes na atmosfera”, afirma Myrna Campagnoli, diretora médica do Laboratório Frischmann Aisengart.

Cerca de 20% da população sofre de alguma forma de alergia. As mais comuns são a asma (bronquite alérgica ou bronquite asmática), a rinite alérgica e as alergias cutâneas. A médica acrescenta que os causadores de alergia mais comuns são a poeira domiciliar, ácaros, epitélios de animais, baratas, fungos, pólens, além de agentes irritantes como fumo e poluentes.

Myrna salienta que “Crianças que possuem um de seus pais alérgicos têm 20 a 30% de chances de serem alérgicas, enquanto filhos de ambos os pais alérgicos já têm uma probabilidade de 60%”. Por outro lado, a alergia pode se desenvolver em qualquer fase da vida e, até mesmo, em pessoas sem histórico familiar. “Basta, para isso, que a exposição desse indivíduo a determinado alérgeno ultrapasse o seu limiar de tolerância”, revela.

Dicas para evitar alergias:

  • Forre colchão e travesseiro com capa impermeável;
  • Retire tapetes e carpetes da casa;
  • Limpe a mobília da casa com pano úmido mais de uma vez por semana;
  • Lave as cortinas a cada 15 dias no máximo, ou substitua-as por persianas;
  • Mantenha sempre a casa arejada e ensolarada;
  • Evite estofados cobertos com tecido;
  • Utilize aspiradores de pó com filtro HEPA;
  • Evite ter animais de pelo como cão, gato no quarto do paciente;
  • Não fume dentro de casa;
  • Substitua cobertores por edredons que possam ser lavados quinzenalmente;
  • Evite, no quarto do paciente, objetos que acumulem poeira como livros, revistas, brinquedos de pelúcia, caixas e quadros;
  • Evite cheiros fortes como de tintas, solventes, inseticidas, produtos de limpeza etc.