Sintomas de uma crise de pânico são parecidos com os de um infarto

Falta de ar, transpiração e coração acelerado: pode ser uma crise de pânico

BlogFR04 (1)

A síndrome do pânico é um transtorno mental de ansiedade que causa ataques repentinos de medo e desespero. Falar em público, ficar preso em um engarrafamento, se ver no meio de uma multidão… Estes são gatilhos comuns da crise de pânico, mas ela também pode surgir quando menos se espera – durante o sono, por exemplo.

O ar parece faltar, o coração bate acelerado e a pessoa transpira em excesso. Tremores, tontura e mal estar também aparecem. Os sintomas são normalmente associados a um infarto. Se é a primeira vez que a pessoa sente tais sintomas, a recomendação é correr para o médico para avaliar a situação – especialmente se ela tiver fatores de risco como diabetes, obesidade, histórico familiar de doenças cardiovasculares, fumo, hipertensão, má alimentação ou sedentarismo. Neste caso, os sintomas podem se prolongar para dor no peito, no braço esquerdo, costas, mandíbula e estômago.

No entanto, é comum encontrar pessoas que sentem tais sintomas e, ao chegar ao Pronto Socorro, não encontram alterações nos exames cardíacos – pode ter sido uma crise de pânico.

O pânico pode ter origem familiar ou relação com histórias de vida, mas também pode ser desencadeado por fatores estressantes pontuais, como pressão no trabalho, falecimento de uma pessoa querida ou o término de um relacionamento. O transtorno é mais comum em mulheres jovens, mas pode atingir qualquer pessoa. Algumas podem ter crise uma única vez na vida, enquanto outras podem sofrer várias, cronicamente – em alguns casos, desencadeando uma fobia dos lugares onde ocorreram as crises.

No caso do diagnóstico de síndrome do pânico, a recomendação é realizar o tratamento com um psiquiatra, que irá avaliar a necessidade de um acompanhamento contínuo com um psicólogo e, em alguns casos, do uso de medicamentos.

Tags:, ,